quarta-feira, 30 de maio de 2012

Ganhadora do Sorteio da Farmácia Doce Dia

Não podia deixar de comemorar com meus amigos, acabei de receber uma notícia muito boa.. A farmácia  Doce Dia, fez uma promoção no Facebook, sorteando um lindo Kit completo Freestyle + 50 tiras + um tubo de cada sabor da pastilha Glicofast, para quem curtisse sua fan page www.facebook.com/diabetes.farmaciadocedia, o sorteio foi realizado hoje e fui a sorteada!!!
A Giovana vai ficar toda feliz quando der a notícia à ela, logo mais quando chegar da escola...
Faremos bom uso do Kit.
Obrigada a Farmácia Doce Dia.





terça-feira, 29 de maio de 2012

Doenças do frio atingem mais os diabéticos

O friozinho tá chegando e com ele o inverno, uma estação do ano, que pra mim é maravilhosa, só que junto vem a preocupação das doenças que são comum aparecer nessa época do ano.

Como a Gi é bem alérgica (rinite), nesse período temos um cuidado redobrado, pois se à alergia ataca pra valer..aiaiai, as glicemias ficam loucas.

Pesquisando na net à respeito achei esta reportagem sobre essa estação do ano e o diabetes.. estou compartilhando com vocês.

Segue o post:


Com o clima frio, os diabéticos têm mais probabilidade de sofrer com algumas doenças típicas da estação, entre elas bronquite, pneumonia, alergias, rinites e resfriados. Isto porque o diabetes é uma doença crônica que pode diminuir a imunidade, aumentado a chance de adquirir estas enfermidades. 
 
Além disso, os diabéticos também devem ter alguns cuidados com os pés no inverno.  “Se a pele dos pés ficar mais escura ou a temperatura estiver mais fria do que o normal, pode ser sinal de problemas, principalmente em pessoas com diabetes mellitus tipo 2 ou aqueles que têm diabetes tipo 1 há muito tempo e já apresentam problemas renais e vasculares”, explica a endocrinologista, Dra. Sheyla Alonso, que atua como voluntária na APAD – Associação Paranaense do Diabético.  “Com estes sintomas, é aconselhável procurar um médico”, observa.
 
Alguns cuidados podem auxiliar os diabéticos na prevenção das doenças do frio. “Acima de tudo é necessário que o portador de diabetes tome seus remédios adequadamente e siga a dieta. Além disso, algumas precauções são bem vindas para aumentar as defesas naturais, como manter a casa e o ambiente arejados, livres de poeira e sujeira, evitar a friagem e a exposição ao frio e chuva, levando sempre o “kit inverno”, como casaco e guarda-chuva e manter uma vacinação adequada, tanto os adultos quanto as crianças”, aconselha a Dra. Sheyla. 
 
“Outra forma de prevenção está na alimentação correta, que deve ser rica em verduras, frutas e legumes. É importante também a ingestão de bastante água para facilitar a eliminação da secreção dos pulmões”, ressalta. 
 
Uma vez que o diabético contraia alguma das doenças, é importante que tome sua medicação adequadamente, repouse, tenha uma alimentação saudável e, caso não melhore ou sinta que seu diabetes pode estar aumentando, procure o médico. 

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Açúcar que não engorda, não provoca cáries e pode ser usado por diabéticos?


Brasil terá açúcar que não engorda e não provoca cáries.

Ele não engorda, não provoca cáries e pode ser usado por diabéticos. É o açúcar FOS (sigla para fruto-oligossacarídeos), que passará a ser fabricado no Brasil graças a um novo modo de fabricação, desenvolvido por uma pesquisadora da Universidade de Campinas (Unicamp).

O açúcar FOS não engorda porque sua molécula é muito grande para ser quebrada pelo organismo. Ele é absorvido apenas pelos micro-organismos que vivem na parte final do intestino, daí seu papel probiótico. Ao ingerirem o açúcar, esses organismos crescem e ajudam no tratamento de algumas enfermidades, como problemas de absorção de cálcio, diabetes e câncer. Por causa do seu tamanho, o FOS também não consegue ser metabolizado pelos organismos que ficam alojados na boca e que causam a cárie e as placas dentárias.

O FOS já é conhecido e usado com maior frequência em países do hemisfério norte, inclusive em produtos voltados para diabéticos. No Brasil, seu consumo ainda é restrito. De acordo com Elizama Aguiar de Oliveira, da Faculdade de Engenharia de Alimentos da Unicamp e autora do estudo, é possível encontrar no Brasil alguns produtos que já contenham FOS. A variabilidade, no entanto, é pequena em função dos custos. Uma lata de leite em pó com FOS, por exemplo, tem preços entre 20 reais e 40 reais. "Se produzido nacionalmente, esses custos podem ser reduzidos", diz.

Tecnologia nacional — A metodologia desenvolvida por Elizama emprega uma liga de nióbio (um minério usado em alguns tipos de aços inoxidáveis) e de grafite para imobilizar a enzima que irá produzir o açúcar. Imobilizando a enzima nesse minério, evita-se que ela se dissolva e o resultado obtido é um xarope rico em oligossacarídeos, sacarose, frutose e glicose. Em seguida é feita a purificação, na qual os subprodutos são separados e os oligossacarídeos são encaminhados para o setor industrial, quando vários produtos com FOS poderão ser processados – como chicletes, balas, sorvetes e pães.

"Não existe contraindicação, o único cuidado é evitar o exagero no consumo, que pode causar cólicas e diarreias", diz Elizama. Segundo a pesquisadora, alguns estudos estimam que o ideal será um consumo máximo de 6 a 10 gramas do FOS por dia. "Mas essa quantia varia muito, depende da maneira que o organismo da pessoa responde ao produto", diz. 

Matéria-prima — De acordo com a engenheira, mesmo com a riqueza de matéria-prima para o FOS no país, eles são pouco processados no Brasil. A maioria do que é hoje comercializado vem da Europa, do Japão e dos Estados Unidos, regiões onde os fruto-oligossacarídeos são ingeridos de maneira mais variada. Nesses lugares, ele é empregado em produtos como chicletes, sorvetes, biscoitos, doces, sucos e na linha de alimentação infantil e animal.

Fonte: Revista Veja - Saúde. "Brasil terá açúcar que não engorda e não provoca cáries".http://bit.ly/KTpucJ

As informações acima têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

domingo, 27 de maio de 2012

1º Encontro de Famílias DM de Brasília

Quero compartilhar com vocês, outro evento que acontecerá, o 1º encontro de Famílias DM de Brasília, segue abaixo o comunicado dos organizadores.
É com muito prazer que anunciamos o 1º Encontro de Famílias DM em Brasília. O encontro vai ser na quinta feira 07/06 (feriado de Corpus Christi) na nossa casa as 20h. Para este primeiro encontro, teremos a rica contribuição de dois convidados especiais: Bruno Pereira e Gabriela Menezes. Eles que vêm de São Paulo trazendo suas experiências em trabalhos voluntários com diabetes tanto no Brasil quanto fora. Vamos nos reunir, conversar sobre como é conviver com o diabetes, trocar experiências, escutar dicas importantes, tudo isso numa conversa em clima de família.
Confirme sua presença no evento no facebook ou deixe seu email para te enviarmos os detalhes de como chegar à nossa casa.
Você também pode nos enviar um email para silvanians@gmail.com ou ligar para            (61) 9107-3749       (vivo) ou             (61) 8488-1108       (brasil telecom).

O evento é gratuito!

Esperamos por vocês!

Forte abraço,

Vânia Nogueira e Silvânia Nogueira

Segue link do evento:
http://www.facebook.com/events/383886461648869/

Encontro da familia do portador de diabetes no Rio de Janeiro

Acontecerá um encontro, para familiares e portadores de Diabetes no estado do Rio de Janeiro, quem está organizando o evento é a amiga do Facebook Sarah Rubia Baptista , quem puder participar, vai poder desfrutar de um lugar maravilhoso, tudo preparado com muito carinho, e pensando no bem estar dos diabéticos e seus familiares.

O Local será um Sítio em Vargem Grande, no dia 22 de Julho, das 09:00 as 17:00, com lanche na chegada, almoço e lanche no período da tarde... para mais informações, deixo o link do evento.


Segue fotos do local:

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Glicemias alteradas na Madrugada

Fazem exatamente três noites que não durmo direito, as glicemias noturnas da Giovana, que antes estavam alteradas, agora resolveram cair de vez.. está tendo uma hipo atrás da outra... o que muito me preocupa.
As glicemias no período da noite estavam alteradas.. media na madrugada e do nada as glicemias estavam 240mg/dl, as vezes até 300mg/dl... uma loucura e o pior de tudo é que não tínhamos alterado nada na alimentação e também a Gi não estava doentinha.
Trocamos o lanchinho da noite, por suco e bolacha diet ou queijo, tiramos pães, leite... mais de nada resolveu, continuaram altas.
Do nada, de uns três dias pra cá as glicemias caíram muito, desde o primeiro dia, venho diminuindo à insulina Basal ( Lantus), que por sinal é bem chatinha para acertar as doses, e confesso que estou preocupada, as glicemias começam a baixar na hora do jantar, e mesmo sem correção  com a ultrarrápida dos cho, nada resolve, cai e muito e da mesma forma demora muito a subir.
Essa noite que passou, foi um sufoco, até comentei com as minhas amigas do face, devido uma delas ter passado um susto com sua filha tbm na madrugada, (Nicole Lagronegro)... foi um susto e tanto que passei, antes de dormir a glicemia estava 78mg/dl, dei um copo de leite desnatado e sem gordura com uma colher de sopa de nescal light e uma fatia de pão de forma com margarina.. ela foi dormir e eu programei o relógio para despertar daí 2 horas e meia.. nem deu tempo... acordei com a Gi se mexendo muito na cama, fiquei assustada e fui logo medindo, 31mg/dl, chamava ela e ela só ficava com os olhos abertos me olhando, como dou torrões de açúcar,para subir a glicemia, pois ela já estava enjoada de glicose líquida, fiquei com medo dela engasgar e preferi dar água com açúcar, depois de 15min 38mg/dl, dei mais meio copo de água com 2 colheres de sopa de açúcar, depois de 15min 54mg/dl, esperei mais 15min e medi novamente 44mg/dl, ela já não queria mais beber nada,confesso que fiquei com vontade de aplicar o glucagon, mais tive medo porque ela não estava desacordada, então fiz um copo de leite com toddy bem forte e coloquei mais meia colher de açúcar, ela bebeu e depois de 30 min a glicemia estava 92mg/dl... já eram 3:30 da madrugada, aí resolvi ficar monitorando de hora em hora, não passou dos 100mg/dl... e quando peguei no sono ás 7:00 depois de aplicar a Lantus, acordei assustada as 9:00, adivinha... glicemia 51mg/dl... acordei ela dei café da manhã e depois de 2 horas glicemia 181, sem correção... ta complicado, já diminuímos 6 doses da Lantus... agora é correr atrás e descobrir o que está acontecendo nas madrugadas.. serão os hormônios do crescimento? sei lá o que pode estar acontecendo, mandei as tabelas de glicemia para o endocrinologista dela analisar, vamos ver o que ele vai dizer..

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Para ser divulgado nas escolas!!!!!!

Nós mães de docinhos, precisamos divulgar esse vídeo nas escolas de nossos filhos. A escola é o local que eles passam várias horas por dia, longe de nós que estamos acostumadas a cuidar dos procedimentos do Diabetes. 

À escola têm que estar preparada para cuidar de nossos docinhos e isso muita vezes não acontece... acham que não precisam estar tão informados assim... acham que o que sabem, é o suficiente.. quando na verdade não é... precisam de muito mais informações.
Em todas as escolas que a Giovana estudou, inclusive à atual, eu sempre levei informativos, apostilas e ensinei professores e funcionários todos os procedimentos, e mesmo assim, vejo que ainda precisam saber muito mais.
Nós precisamos divulgar cada vez mais, informações sobre o diabetes, para podermos instruir cada vez mais um número maior de pessoas e proporcionar assim um melhor controle para nossos docinhos.











Dulcinéia (mãe da Gigi)

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Jerry, o ursinho diabético


Pessoal, achei o máximo esse ursinho e não podia deixar de compartilhar com vocês. Uma pena o vídeo ser em inglês. Estou ansiosa para o seu lançamento, previsto para 2013...tenho certeza que vai ajudar muitas crianças a passar essa fase difícil da aceitação, das primeiras aplicações, um monte de novidades, que no começo são bem complicadas para uma criança.. fico feliz com estas criações.



 



Para as crianças com diabetes, a rotina das injeções de insulina repetidas várias vezes ao dia pode tornar-se penosa. Com o objetivo de a transformar numa tarefa menos difícil, um grupo de engenheiros norte-americanos criou um urso de peluche interativo para ajudar os mais pequenos a lidar com a doença e para lhes mostrar que não são os únicos nessa situação.


O ursinho, batizado Jerry, foi criado por alunos da Northwestern University's McCormick School of Engineering, nos EUA. Tal como as crianças a quem se destina, sofre de diabetes e precisa de cuidados que deverão ser administrados pelo seu dono e que vão desde a monitorização dos níveis de glicose à própria administração de insulina.

Aaron Horowitz, um dos criadores do brinquedo, explicou, citado pelos meios de comunicação internacionais, que o objetivo é ajudar os pacientes jovens com diabetes tipo 1 durante a infância, uma fase especialmente sensível. "É assustador para uma criança. Num dia vão ao médico, no outro os pais têm de lhes dar injeções sete, oito vezes por dia", salientou Horowitz.



"Este é um brinquedo que passa pelas dificuldades pelas quais as crianças também estão a passar. Elas não podem ler brochuras médicas, aprendem com a prática", acrescentou, afirmando que toda a equipa acredita que Jerry pode ajudar os mais pequenos a ultrapassar os medos e ensiná-los a seguir todos os passos necessários para a manutenção da sua saúde.

Além de ter "pontos" assinalados para as injeções, onde as crianças podem simulá-las, o peluche tem também um sensor que deteta quando recebe insulina, dá sinais quando o nível de açúcar no sangue é baixo e é capaz de falar, avisando a criança de que não se sente bem. 

Atualmente, Aaron Horowitz e Hannah Chung, outra das mentoras do brinquedo, encontram-se em Providence a trabalhar no aperfeiçoamento de Jerry, sendo que o peluche inovador deverá chegar aos mercados em 2013, embora o prazo possa variar.

À criação deste novo amigo para as crianças com diabetes prevê-se o desenvolvimento de outros brinquedos do genero, destinados a jovens com problemas de saúde diversos, desde a asma à obesidade.





quinta-feira, 17 de maio de 2012

2º Bingo Beneficente da ADJ

Estamos precisando da ajuda de vocês...
O grupo de Mães e Amigos da ADJ estão organizando um evento beneficente na ADJ ( Associação de Diabetes Brasil) e precisamos de prendas, pode ser brinquedo, artesanatos lindo que vcs sabem fazer, eletro eletrônico, eletro doméstico, portátil, CD, Perfumaria , etc .. o que vcs puderem contribuir eu agradeço! É claro que vai rolar um Merchandising , pode colocar cartão que vamos fazer propaganda!
As prendas serão arrecadadas até o dia 15 de Junho. Vamos colaborar....para que esse evento seja um sucesso!!






2º Bingo Beneficente da ADJ organizado pelo Grupo de Mães e Amigos da ADJ. Dessa vez será num lugar BEM maior, com comidinhas e muitas brincadeiras pras crianças! São todos muuuuito bem vindos!!!

terça-feira, 15 de maio de 2012

Mais novidades chegando... Pâncreas Artificial


Muito interessante esta matéria sobre o Pâncreas Artificial, fico muito feliz em ver os avanços.
Compartilhando matéria www.portaldiabetes.com.br.
Ferramenta automatiza grande parte do trabalho de monitoramento e manutenção dos níveis de açúcar no sangue de diabéticos
Uma equipe da University of Virginia School of Medicine, nos Estados Unidos, deu início ao primeiro teste ambulatorial de um pâncreas artificial capaz de tornar mais fácil o gerenciamento do diabetes tipo 1.
O dispositivo consiste em um smartphone reconfigurado para monitorar a bomba de insulina e o monitor contínuo de glicose dos pacientes.
A ferramenta automatiza grande parte do trabalho de manutenção dos níveis de açúcar no sangue.
Para o primeiro ensaio clínico, os pesquisadores recrutaram o paciente Justin Wood, de 40 anos.
Diagnosticado como portador do diabetes tipo 1 cerca de 28 anos atrás, Wood usa uma bomba de insulina para ajudar a regular o açúcar no sangue, mas deve verificar os níveis de açúcar no sangue através da punção no dedo, pelo menos, de três a cinco vezes ao dia.
Ele também precisa medir com precisão o consumo de alimentos, especialmente a quantidade de hidratos de carbono, para ajudar a ajustar sua fonte de insulina.
"Embora a gestão do diabetes já faça parte da minha natureza, é algo em que você pensa quase constantemente. A interface de operação do novo dispositivo é muito simples e rápido", afirma Wood.
Wood usou o dispositivo para ler e equilibrar o nível de açúcar no sangue. Na hora das refeições, como fazia com a bomba de insulina padrão, ele adicionou o que comeu para ajudar a equilibrar o açúcar no sangue mais rápido.
Segundo os líderes da pesquisa Patrick Keith-Hynes e Kovatchev Boris, o paciente ficou impressionado com o potencial do pâncreas artificial.
O dispositivo pode ainda reduzir o número de vezes que o paciente mede a glicose a partir de picadas no dedo para não mais do que duas vezes ao dia.
A equipe planeja, agora, continuar os testes ambulatoriais até 2013 na universidade e em três outros locais com um total de 120 pacientes.
Fonte: Isaúde.net

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Tomando coragem!!!!

Sei que para muitos não é fácil a tarefa de aplicar insulina... muitos têm receio da agulha, enfim.. lidar com as aplicações não é nada fácil e é claro que comigo não foi diferente...No começo, confesso que tremia muito, suava frio...mais pela minha princesinha, tive que encarar e, hoje tiro de letra as aplicações...
Aproveitei o tempo que estamos passando aqui em Joinville  para treinar o Alexandre com os procedimentos do dia a dia... sabia que não seria fácil pra Ele, mais a Giovana também ficou um pouco apreensiva, mais no final deu tudo certo.
Ele saiu-se muito bem, fez tudo certinho e com muita calma, o que facilitou a receptividade da Giovana.
É sempre bom poder ter alguém pra dividir os cuidados e auxiliar nos procedimentos, que as vezes tornam-se cansativos. Aproveitei e já comecei a ensinar ler rótulos, contar CHO, e assim ele já está ficando mais familiarizado com o Diabetes.











sábado, 12 de maio de 2012

Karina a nova amiguinha da Gigi

A Giovana é muito comunicativa, onde chega logo vai fazendo amizades... e aqui em Joinville, não foi diferente. Logo fez amizade com a Karina, uma menina muito doce, com 9 anos de idade, um pouquinho mais velha que a Giovana, mas as duas se identificaram muito, logo no primeiro encontro. Como de costume, logo que a Gi faz uma amizade nova, explicamos a sua disfunção. Com a Karina não foi diferente, explicamos sobre o Diabetes e ela logo ficou interessada em saber tudinho, quis até mesmo aprender com fazia o teste, as aplicações, ficava controlando a Giovana na hora da alimentação, uma gracinha. A Giovana, logo tratou de mostrar tudinho,  até mesmo ensinou a amiguinha à fazer os procedimentos.
Achei muito Linda a iniciativa da Karina, tão pequena e tão interessada no assunto. Tenho certeza que esta garotinha, vai crescer sabendo como lidar quando encontrar alguém com diabetes, e o mais importante, vai crescer sabendo o que realmente é verdade sobre o diabetes e não tanta bobeira que escutamos por aí...





sexta-feira, 11 de maio de 2012

Super Poderes!!!!!!

Como estamos no mês das mães, e ainda não tinha comentado sobre o assunto, resolvi hoje depois de lêr um post no Face, publicado pela mãezona 
Sarah Rubia Baptista, homenagear as mamães que lutam bravamente dia após dia para o bem estar dos seus filhos. Desejo de coração que todas renovem suas forças a cada amanhecer, e que continuem sendo heroínas, cada uma do seu jeitinho...  que Deus ilumine nossos passos e nos capacite cada dia mais. Feliz Dia das Mães!!!!!!!

Obrigada Sarah por ter me incluído nessas mamães....


Testo publicado no Face pela Mãezona 
Sarah Rubia Baptista




Me diziam que mães tem super poderes, eu acreditava, até que os meus foram revelados:
Telepatia - Sentir quando algo não vai bem com meu filho
Poderes baseados em objetos - Sentir quando preciso usar o glicosimetro e manipular a bomba de insulina.
Super resistência - Por vezes 2 horas de sono me bastam.
Invulnerabilidade - Sentimentos pequenos não me atingem mais.
Invencibilidade - Não existe outra alternativa, é vencer ou vencer.
Resistência evoluída - Não importa o que aconteça, estarei firme, forte e feliz.
Visão aguçada - Olhando meu filho de longe, vejo o que ninguém vê, sua fisionomia se transformando. Vejo o quanto de CHO tem um alimento.
Audição aguçada - Quando o coração e a respiração começam a acelerar por conta da alteração glicemica, eu ouço.
Olfato aguçado - Sinto o cheiro das cetonas, quando ainda imperceptivel aos outros.
Paladar aguçado - Ao colocar um alimento na boca, sei se tem açucar ou adoçante, gordura, tipo e quantidade de carboidrato.
Tato aguçado - Ao tocar em meu filho sei as quantas vão a glicemia.
Reflexos sobre-humanos - Em tempo recorde analiso a situação e decido qual super poder vou usar para que tudo volte ao normal.
Superagilidade - Tempo record, entre decisão e ação.
Probabilidade acelerada - Tempo record para analisar todas as probabilidades.
Aptidão intuitiva - Tenho a intuição e sempre estamos certa.
Despertar habilidades - Tenho o poder de despertar no meu filho, todas as minhas habilidades.
E fiquei feliz em saber que não sou a unica mãe no mundo com super poderes, Nicole LagonegroIvanilda PeresAna Claudia CendofantiSilvia OnofreSilvia Messora,Dulcinéia Maia,Ana BragaAna Carolina Torres RogoginskyCarolina Lima,Barbara Barros.

Dulcinéia ( mãe da Gigi )


quinta-feira, 10 de maio de 2012

Somente pelo olhar....

Ainda estamos passeando em Joinville, e como já era esperado, nossa rotina mudou um pouco. Criança passeando, só quer saber de brincar e mais nada, esquece de comer, ainda mais quando  encontra uma amiguinha...
Desde que descobrimos o Diabetes da Giovana, fico atenta à todos os detalhes, cada mudança de expressão no olhar.. cada atitude diferente, não perco nenhum lance... chega a ser até engraçado..mas graças a tudo isso, sei identificar só de olhar para a carinha dela o que está se passando...
Se estiver com os olhos brilhando e grandes, sei que a glicemia está um pouco alterada, se estiver com o olhar caído e com cara de choro..corre que é Hipo na certa... ainda mais se começar a dizer " Mamãe, a senhora é a melhor mãe do mundo", ou " Eu te amo tanto que nem da pra dizer o quanto", ou começar a pedir colo, e se ela ficar nervosa e não querer nem que a toque, aí corre mesmo, porque a coisa está grave...
Hoje à tarde, foi brincar e não demorou muito voltou de cabeça baixa, logo pedi que olhasse pra mim... não tive dúvidas... quando ela olhou, com aqueles olhinhos de choro, já fui pegando o glicosímetro e fazendo dextro... dito e feito, estava com Hipo de 59, mesmo eu diminuindo a dose da insulina ultrarrápida, ainda ta complicado no período da tarde, horário que ela vai brincar... dei dois torrões de açúcar e, depois de 30 minutos estava normal, 89... como era perto da hora do lanche, antecipamos o lanchinho.
Nunca fiquei tão apreensiva para corrigir um lanche, a Giovana quis que eu fizesse bolachinhas, um tipo de amanteigado que faço e ela sempre gostou de comer, mais confesso que depois do Diabetes, fico super tensa quando ela me pede..
Fiz as bolachinhas e depois de prontas, fiquei pensando com eu iria corrigir.. depois que começamos a contagem de cho, ela ainda não tinha comido as bolachinhas... Fiz umas contas loucas.. somei os cho da farinha de trigo, que na embalagem da o valor por cada meia xícara, multipliquei pelas quantidades de xícaras que coloquei, somei com os cho do açúcar, que tive que contar quantas colheres eu coloquei em cada xícara... e por aí vai.. por fim depois das bolachinhas prontas dividi o valor total dos cho pelas quantidades de bolachinhas que deu... resultado tinha que corrigir 18gr de cho por bolachinha... graças à Deus deu tudo certo, antes de comer estava 89, ela comeu 4 bolachinhas e tomou suco zero, apliquei a insulina e depois de 3 horas fiz o dextro e para minha felicidade... glicemia 94... deu tudo certo... 
Ser mãe de docinho tem dessas coisas... ser um pouco de tudo...ter mil e uma utilidades e funções...mais vale a pena sempre... precisavam ver a carinha dela comendo as bolachinhas com a amiguinha... valeu a pena eu ter feito minhas contas...


Dulcinéia (mãe da Gigi)

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Diabetes e Crescimento - infância e adolescên­cia

Esse assunto é muito discutido entre as mamães de crianças DM1, pois o hormônio do crescimento interfere no controle das glicemias, as doses de insulinas devem ser ajustadas, exige de nós muita paciência. Já estou me preparando para a quando a Giovana chegar na Puberdade... 
Vamos ficar atentos, para que o crescimento de nossos filhos seja o mais normal possível e livre de complicações.


O Diabetes Mellitus tipo l, ou DMl é uma doença auto-imune que evolui com destruição das células beta pancreáticas e resultando na redução da produção de insulina e aumento da glicemia. Pode ocorrer em qualquer faixa etária, embora geralmente acome­ta crianças e adolescentes. Os sintomas iniciais típicos são a poliúria, ou urina em excesso, a polidipsia, bebe-se mui­ta água e perda de peso. 
Esses sintomas decorrem de que sem insulina não há aproveitamento de glicose pelo organismo, já que é a insulina quem trans­porta a glicose para as células. Os pacientes passam por uma fase de desidratação e desnutrição, perdendo liquido, proteína (músculo) e gordura. Esse processo pode ocorrer no diagnós­tico ou durante a evolução, sempre que o controle metabólico do DM não for adequado.

As fases de infância e adolescên­cia diferem da fase adulta em uma característica fundamental: o cresci mento. 0 crescimento normal depende de vários fatores - genéticos, hormonais, nutricionais, ambientais e até psicológicos. Se algum deles está desequilibrado pode haver desaceleração no crescimento e comprometimento da estatura final.

Na época da adolescência ocor­re o desenvolvimento da puberdade, a partir da produção dos hormônios sexuais - a testosterona no menino e o estrógeno na menina. É nesta épo­ca que acontece o chamado estirão de crescimento, que também está relacionado ao aumento de GH, ou hormônio de crescimento.

A partir do momento em que o diagnóstico de diabetes é feito, se inicia a fase de educação sobre a doença, salientando-se os riscos de complica­ções agudas e crônicas, bem como sua relação com o controle controle metabólico.

Num primeiro momento, é importante a família compreender que, durante a fase de crescimento, é esperado que a dose diária de insulina seja progressivamente reajustada devido ao aumento das necessidades do organismo. Essa informação é importante, pois muitos pais acreditam estar havendo uma "piora" do controle, resultando daí preocupações desnecessárias. A elevação da dose de insulina é realizada de acordo com os controles e deve se dar lentamente, na maioria das vezes com modificações de 10 a 20%, da dose total, para que haja redução do risco de hipoglicemia.

Um período especialmente difícil de se controlar bem o diabetes é o da puberdade. Nessa fase há produção de hormônios masculinos, a testosterona, e femininos, o estrógeno, que modificam a composição corporal e promovem o desenvolvimento dos caracteres sexuais secundários. Juntamente a essas alterações há a elevação dos níveis de hormônio de crescimento, o GH, que além de acelerar o ritmo de crescimento, antagoniza a ação da insulina, fazendo com que haja uma tendência à piora do controle metabólico. Por essa razão, é bastan­te comum o aparecimento da primei­ra descompensação nessa faixa etária e também de internações depacientes que antes da puberdade apresentavam bom controle.

É uma fase em que os adolescentes crescem mais rápido e necessitam de doses mais elevadas de insulina.
Por todos estes motivoas é necessário intensificar o controle nesse mo­mento, com aumento do número de exames de glicemia capilar (ponta de dedo). Além disso. não só a glicose total de insulina deve ser aumentada, como também maior número de aplicações podem ser necessárias para que o controle não fique prejudicado. Se a necessidade de diminuição de insulina não foi detectada precocemente, deve haver elevação da glicemia e até evolução para a cetoacidose diabética, quadro grave que exige internação e cuidada intensivos.

Não devemos esquecer de estimular a atividade física, de preferência a prática de esportes, para aumentar o gasto calórico, integrar criança com os colegas e provocar melhor desenvolvimento possível.

Portanto, durante a infância e adolescência. é fundamental que a família e os profissionais que cuidam do paciente estejam atentos para que o controle do DM seja mais rigoroso, evitando assim que o paciente tenha complicações agudas e que o crescimento da criança e adolescente ocorra de forma normal, sem prejuízo dseu desenvolvimento puberal ou da estatura final.

Dr. Luis Eduardo Procópio CalliariDr. Luis Eduardo Procópio Calliari

Professor Assistente-Mestre da Unidade de Endocrinologia Pediátrica do Departamento de Pediatria da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Professor Assistente do Departamento de Fisiologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Membro do Departamento de Endocrinologia da Sociedade Brasileira de Pediatria. Vice-Presidente do Departamento de Endocrinologia da Sociedade de Pediatria de São Paulo.

Fonte: Jornal Dia a Dia

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...